quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Após prisão de Prisco, policiais se reúnem para decidir sobre fim da greve

Após a desocupação da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) e a prisão do principal líder da greve da Polícia Militar (PM) no estado, policiais seguem em direção ao Ginásio dos Bancários, nos Aflitos, onde farão uma reunião na manhã desta quinta-feira (9) para decidir se continuarão ou não com a paralisação. A expectativa é que os PMs aceitem a proposta do governo baiano de reajuste de 6,5% e pagamento gradual das gratificações (GAPs 4 e 5) e encerrem a greve, que já dura dez dias. Apesar do otimismo, no entanto, policiais têm usado as redes sociais para contestar um eventual fim do movimento. "Não acreditem em boatos. A greve continua", avisa um PM em seu perfil no Facebook. No Centro Administrativo da Bahia (CAB), o clima é de tranquilidade. As dependências das Assembleia passaram por varredura e o acesso ao local deve ser liberado por volta das 10h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário